Ainda bem

quarta-feira, outubro 14, 2015


Essa é mais uma história de amor. Sem clichês, sem promessas, sem coração partido. E é real, pode acreditar. Um amor correspondido, intenso e recém descoberto. Daqueles que te deixam sorrindo atoa, feliz da vida, mostrando a todos(espontaneamente), o quanto esse sentimento lhe faz bem.

Ela era uma nova pessoa. O amor a mudou. Sempre mudava. Ela se adaptava às pessoas, tentava agradar, era sempre companheira. Mas dessa vez, o amor a mudou. Algo nela, não estava igual. O sorriso no rosto era o mesmo. A alegria de fazer as coisas ou ser feliz não fazendo nada, permanecia. Mas dessa vez, era diferente.

Mudou. Cresceu. Descobriu. Se afogou no amor próprio que enxergou dentro do seu coração. Não havia o outro. Era ela e ela mesma. Olhou pra si e viu o quanto ela era importante. Correu atrás do que queria, amadureceu, acalmou o coração e encontrou seu lugar. Ela que era sempre tão desesperada, que pensou ter de esperar dias intermináveis para ficar em paz, estava bem. Bem com a vida, com a família, com os amigos, com o trabalho e principalmente, com si mesma.

Ainda era maluca e intensa. Ainda tinha as borboletas na cabeça. Ainda ria de piadas sem graça. Ainda brigava por futebol. Ainda dava seus pulos pra conseguir o que queria. Ainda chorava vendo filme. E ainda que corresse o risco de cair em outra loucura sem fim, ainda era Ela. Ainda bem.

Outros posts interessantes para você

2 comentários

  1. Ah, o amor próprio... Talvez a história de amor mais linda que podemos viver. Nos conhecer e se apaixonar pela pessoa que conhecemos no espelho é um desafio, mas um desafio recompensante. E acredito que só podemos amar de verdade outra pessoa, quando amamos primeiro a nós mesmas.
    Lindo texto.

    www.carolinefrizeiro.com

    ResponderExcluir

Seu comentário é super bem-vindo! Obrigada pela visita! :)